Tenho conseguido manter o foco?

“Vocês foram ressuscitados com Cristo. Ponham o seu interesse nas coisas que são do céu, onde Cristo está sentado ao lado direito de Deus. Pensem nas coisas lá do alto e não nas que são aqui da terra.” Colossenses 3.1-2

woman, light, view-877160.jpg

Paulo ao escrever aos irmãos de Colossos, começa com a lembrança de que eles já tinham ressuscitado com Cristo. Se haviam ressuscitado é porque antes tinham morrido, morrido para o pecado, morrido para os desejos fúteis, morrido para os desejos carnais deste mundo. Agora ressuscitados para uma nova vida e novos propósitos, deviam focar nas coisas do alto, nos interesses de Deus.

Ao viver dessa forma, os cristãos vivem a vida verdadeira e tomam parte na glória de Cristo.

Quando saímos da casa pastoral onde meus filhos nasceram e passaram a primeira infância, levamos conosco seis malas. Nossa vida ficou resumida nessas bagagens. Como foi difícil decidir o que levar, o que seria mais importante e útil para nós no outro campo missionário! Meus filhos tiveram que selecionar os brinquedos que coubessem em uma mala e doar o restante.

Ao olhar para as palavras de Jesus aos seus discípulos, com certeza estávamos no lucro: “Não levem dinheiro algum, nem bolsa de viagem, nem um par de sandálias extras.”

Fomos para uma casa missionária por um período transitório de seis meses. Vivemos com outras famílias que também estavam em formação missionária. Com estas famílias compartilhamos a mesma sala e cozinha. Foi um tempo de aprendizado e crescimento! Pedi a Deus que me desse o dom de hospitalidade e acredito que Ele usou esse período para  capacitar-me um pouco.

Nesta casa missionária, durante um de nossos cultos domésticos, meu filho aos 5 anos, entregou sua vida a Jesus. Um momento marcante para ser celebrado é a conversão de uma criança, especialmente se é um filho! Alguns dias depois, ele veio conversar comigo para entender o que aconteceria ao chegarmos no novo campo. Logo percebi que eu precisava parar para dar atenção e esclarecer algumas preocupações e indagações de meu filho ainda tão pequenino, como:

– “Mãe, nós já temos casa lá no país para onde vamos?” Acolhi a pergunta curiosa que demonstra a necessidade que toda criança tem de sentir-se protegida e segura. Logo respondi:

– “Não, meu filho, ainda não, mas Deus vai nos dar! Ele tem alguma casa preparada para nós.

– “Ah, entendi!” Respondeu ele e continuou: “A casa onde moramos não era nossa, mas da igreja; esta que estamos também não é nossa, mas é uma casa missionária.”

– “Isso mesmo!”, afirmei.

– “Em Cabo Verde a casa também não será nossa, porque a nossa casa não é aqui, mas no céu, não é, mãe?!”

Neste momento, com meus olhos cheios de lágrimas, alegrei-me com a descoberta de minha criança. Tudo aqui é passageiro. Nossa morada é celestial, mas enquanto aqui estamos, em tudo somos supridos!

Jesus depois de enviar os discípulos, tornou a eles com a seguinte pergunta: “Quando eu os enviei para pregar as boas novas sem dinheiro, sem bolsa e sem sandálias extras, alguma coisa lhes faltou?”. Prontamente responderam eles: “Não.”

Deus tem dado a mim e minha família muito mais que merecemos. Passamos por momentos de apertos e privações, no entanto, somos muito mais abençoados e surpreendidos com mimos e oportunidades das quais jamais poderíamos imaginar.

Não é errado fazer investimentos, comprar uma casa ou programar a aposentadoria. Na verdade, até devemos ser mais eficazes na área financeira, buscar o melhor como bons administradores, contudo não podemos perder o foco.

Tirar os olhos do alto é ceder às pressões do consumismo, da ganância, da inveja, das futilidades. Tirar os olhos do alto nos leva à murmuração e ao fracasso.

Infelizmente ouço notícias sobre crentes, líderes, pastores e missionários que se enveredaram por caminhos diferentes. Homens e mulheres, que foram instrumentos de Deus em minha vida e que hoje vivem diferente do que pregaram; não pregam sem negociar; não fazem a obra sem aplausos; não têm mais alegria de servir ao Senhor, mas o fazem com pesar.

Não somos melhores ou revestidos de uma capa especial por sermos missionários. Algumas pessoas até nos julgam como “super crentes” ou “cristãos de nível superior”. Que ilusão! Dependemos da graça de Deus, dependemos Dele e por isso não podemos tirar os olhos de onde Ele está.

São muitas as distrações a nossa volta neste mundo, por isso, para manter o foco devemos colocar nosso interesse no que Jesus fez, viveu e ensinou. Só assim iremos cumprir nossa vocação, chamado e missão. Só assim viveremos com a motivação correta.

Slide1 5
  • 1. Ultimamente, sinto que meus olhos e pensamentos estão mais focados nas coisas terrenas ou do alto? Avalie seus sentimentos e motivações:
TERRENAALTO
Preocupação com roupa, aparência e bens materiais ( )Preocupação em compartilhar o evangelho ( )
Desejos sensuais e imorais ( )Desejo de aconselhar e ensinar com sabedoria ( )
Interesse em tirar vantagem, mentir ou enganar para conseguir algo ( )Interesse em conhecer mais a Deus e fazer Sua vontade ( )
Faço a obra com desejo de mostrar meus talentos e habilidades ( )Faço a obra com desejo de agradar a Deus e amor ao próximo ( )
  • 2. Ore e confesse tudo a Deus. Peça ajuda para focar seu interesse Nele.
  • 3. Durante o dia, medite nesta frase: “Interesse nas coisas do alto”. Escreva-a em algum lugar, envie para alguém.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima