A Mulher recém casada e a saída para o campo missionário transcultural

Na mesma semana que casei em 2017, mudei de cidade com meu marido e fomos servir e estudar em uma base missionária no Brasil. Nossa vontade mesmo era de correr para o campo transcultural imediatamente, mas fomos orientados a passar o período de adaptação naquela nova fase de recém casados ainda no nosso país e essa com certeza foi uma decisão muito importante.

Não sei você, mas eu sou da geração da pressa, quero fazer tudo muito rápido, não desperdiçar meu tempo, e então meu pensamento era: “pra que perder um ano inteiro de preparo sendo que a gente já podia estar lá no campo e agilizando as coisas?”. Ainda bem que Deus conhece os filhos que tem e tem o tempo certo de tratar esse tipo de impaciência.

O início da vida de casados é muito especial, com muitas surpresas boas, é um momento novo de compartilhar a vida com quem você ama. Mas também somos desafiadas o tempo todo no primeiro ano de casadas, vivendo coisas que não conhecíamos antes, toda adaptação com o marido e novo lar. Para que tudo tome seu lugar e se forme uma rotina de família uma coisa é necessária: tempo. Para alinhar as ideias e expectativas como casal e família, unir as rotinas e estabelecer valores. Esse tempo precioso de adaptação nos torna mais fortes para a jornada num novo campo. Se já é desafiador começar uma vida nova com seu marido no seu próprio país, com o apoio de amigos e família, imagina aliar isso com uma mudança cultural para outro país!

Não existe uma data certa, pra cada um o tempo de preparo vai ser diferente, Deus tem propósitos diferentes pra cada um, pra cada família e pra cada contexto, por isso é importante ter discernimento e buscar entender o que é o mais certo para a sua nova família nessa fase. Ele com certeza vai te orientar a tomar as melhores decisões sobre tempo, sobre adaptação e sobre sua vida conjugal. O importante é saber lidar com as situações diferentes nesse início com amor e sabedoria para formar essa base sólida no início do casamento.

De uma coisa eu tenho certeza, o preparo missiológico e familiar é essencial para uma boa chegada no campo transcultural. Obviamente que não vai te deixar imune aos desafios que estão pela frente, mas de certa forma vai te fazer enxergar a vida de outra maneira e te preparar para novos desafios. A preparação para ir ao campo não é tempo desperdiçado, é um investimento indispensável que vai te levar muito mais longe onde você for direcionada por Deus.

Hoje servimos no nosso segundo país na África, ainda temos muitos desafios e passamos por momentos difíceis, mas eu sei que se Deus não tivesse nos ensinado que tudo acontece no tempo perfeito e solidificado nosso casamento logo no início seria muito mais difícil hoje. Passamos tanto tempo planejando e sonhando com o campo, e aquele ano de preparo pareceu bem longo, mas foi essencial pra que nós entendêssemos nosso papel e o tempo certo pra todas as coisas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima